Dia internacional do orgulho LGBTQI+

Gestão: Não se render, nem recuar - O CRESS em todo lugar.
Autor:

Neste domingo, 28 de junho de 2020, celebra-se o Dia Mundial do Orgulho LGBTQI+.  A defesa desta data é destaque nas bandeiras de luta do Conjunto CFESS/CRESS. É  umas das pautas que precisa estar na agenda política do Serviço Social e soma-se no enfrentamento de toda forma de discriminação. Assistentes Sociais, em seu cotidiano, recebem pessoas que vivenciam a discriminação e a violência pela sua orientação sexual e identidade de gênero. É  nosso dever não aceitar formas discriminatórias no exercício da profissão. Nosso Código de Ética nega toda forma de discriminação  quer seja por questões de inserção de classe social, gênero, etnia, religião, nacionalidade, orientação sexual, identidade de gênero, idade e condição física. 
Nessa direção, o Conselho Regional de Serviço Social 1ª Região/Pará reafirma o compromisso com  os movimentos de resistência,  não coaduna com atos de violência e não aceita em   todas as suas dimensões, qualquer ato discriminatório e violência. As estatísticas  são reveladoras dessa situação: 
Somente em 2018, o Brasil registrou 1.685 denúncias de violência contra LGBTQI+. E não somente  violências físicas, inclui-se a violência psicológica, que também são vivenciadas em vias públicas, um fato preocupante, pois pode sugerir  aspectos de banalização dessa violência . 
Os dados são da Secretaria de Direitos Humanos. A mesma Instituição que, lamentavelmente, tem invisibilizado  para  a  população LGBTQ+ o acesso a  políticas públicas que façam frente à diminuição desses dados e garantir  investimentos possibilite  meios efetivos  para combater os diversos aspectos danosos da discriminação e violência cotidiana que ainda  persiste. A exclusão, o preconceito, e a marginalização, são ainda consequências de uma construção sócio histórica pouco elaborada na sociedade que tem relações de poder pautadas no conservadorismo.
Importante ressaltar que embora tenham ocorrido avanços importantes e conquistados por meio de lutas coletivas, a população LGBTQI+ , de acordo com a ONU, ainda enfrenta em 72 países, leis que criminalizam relações homoafetivas e expressões de gênero. E o Brasil hoje, é o país que mais mata pessoas transexuais. É um aspecto assustador e que requer urgência em todos aspectos! Nesse contexto, o Dia do Orgulho LGBTQI+ é uma data significativa para que a  expressão de resistência e celebração de identidade deste segmento da classe trabalhadora, seja respeitada!  "Amor não é doença, é cura. "

"Não é só close, é luta. Então vê se me escuta, aceita, atura ou surta!"
(Quebrada Queer)

Por Laura Rosa (Conselheira CRESS/PA)

Gestão 2020/2023
Não se render, nem recuar- o CRESS em todo lugar. 

#pracegover Imagem de fundo amarelo, com a figura de duas mãos formando um coração com os dedos,  a mão esquerda tem uma faixa colorida no pulso. Na imagem se lê a frase: 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho (em letras coloridas) LGBTQI+ (em letras brancas)

CONTATOS

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Segunda a Sexta (8H ás 18H)

ENDEREÇO

Tv.Mauriti,2786-Marco-66.093-180-Belém-Pará