face.jpg
insta.jpg

NOTA DE ESCLARECIMENTO DIRETORIA PROVISÓRIA

Autor:

NOTA EXPLICATIVA

 

Prezados/as Assistentes Sociais,

O Conselho Regional de Serviço Social 1º Região está em processo de eleição de sua diretoria durante o ano de 2017. Como todos/as sabem, o primeiro pleito ocorrido em maio foi cancelado. Diante disso, a Comissão Nacional Eleitoral da época, representantes do CFESS e representantes das chapas resolveram seguir as orientações da assessoria jurídica do CFESS e guardar as cédulas e os documentos relativos à referida eleição em uma caixa lacrada no dia 27 de abril de 2017. 

 

Na data de 14 de agosto do mesmo ano, em reunião com a Comissão Regional Eleitoral atual e representantes das chapas, houve o questionamento sobre os documentos relativos à eleição anulada, ou seja, todas as documentações referentes ao processo eleitoral anterior, que passaram a ser inválidas em decorrência desta anulação, inclusive as correspondências recebidas com intenção de voto dos profissionais. Quanto à isso, embora o caráter sigiloso não tenha sido repassado no processo de transição à nossa nova gestão, tais documentações permaneceram com os cuidados de guarda estabelecidos entre as partes na oportunidade de sua lacração. Assim, no dia 18 de agosto de 2017, ao levantar os documentos relativos à referida eleição anulada, observou-se que a caixa havia sido violada. Diante disso, realizamos os seguintes esclarecimentos:

 

1 - Esses documentos encontravam-se na sala da Presidência onde transitavam profissionais em geral, em atendimento, funcionários e Conselheiros;

 

2 – Em nenhum momento fomos informados que existiam esses documentos sigilosos referentes à eleição na sala da Presidência e muito menos que os mesmos deveriam ser incinerados após 120 dias (informação descoberta após a leitura da memória da reunião com as chapas encaminhadas pelo CFESS, em abril);

 

3 – A Diretoria Provisória diante desse fato realizou comunicação a Polícia Federal solicitando investigação acerca da violação dos documentos e instaurou sindicância para apuração dos fatos.

 

Corroborando com a transparência necessária para os profissionais, ressaltamos que estamos com todas as comprovações das condutas que tomamos de boa fé e que esta situação se refere à eleição anulada que não mantém relação nenhuma com o momento atual onde estão envolvidos novos membros da Comissão Regional Eleitoral em processo legal, responsável e eticamente direcionado. 

 

No entanto, esta gestão entende que é inadmissível que tal documentação que estava lacrada e com informação de “documento sigiloso” tenha sido violada, motivo pelo qual, além dos procedimentos a serem desenvolvidos pela Polícia Federal, o CRESS 1ª Região instaurou sindicância para internamente também levantar dados que ajudem nos procedimentos legais para fins de identificar quem e com que interesse efetuou tal violação. Por fim, as eleições de 04, 05 e 06 de outubro de 2017, que de nenhuma maneira seriam afetadas por tal situação, seguem com o máximo de transparência e participação das chapas. No mais, a Diretoria Provisória deseja um amplo debate e máxima participação da categoria neste importante momento para os profissionais Assistentes Sociais. 

 

Atenciosamente,

Diretoria Provisória 2017 CRESS/PA